Love’s Power 2.7

Não se lembra da última parte da história? Ela está aqui. Depois de lembrar continue a leitura.

Agora que ele já massageou meus braços e pernas enquanto eu estava de costas, se concentra mais na parte do tronco. Começa espalhando o óleo pela minha barriga, fazendo vários círculos com ambas as mãos de tamanhos e em direções variadas. Nessa região o umbigo é especialmente sensível e, parece que ele sabe disso pelo tanto que se concentra nesse ponto. Mas a coisa fica quente mesmo quando ele resolve subir com as mãos para perto dos meus seios. Ele move cada mão de um lado, da minha barriga até a parte de baixo do meu seio, uma de cada vez, e cada vez que chega aos seios um arrepio percorre o meu corpo. Mais uma vez ele está trabalhando com a minha expectativa, com o suspense. E isso por que ele é meu submisso, imagino como seria se ele dominasse. Do que ele seria capaz?

Depois de um tempo trabalhando minha expectativa ele toma meus seios em suas mãos. Um em cada mão. Cada dedo fazendo pressão de intensidades diferentes. Ora movendo todos em pequenos círculos, ora aproximando-os, dando vários beliscões simultâneos, ora simplesmente os une e aperta meus seios como um todo. Aos poucos seus dedos vão se movendo cada vez mais para o centro dos meus peitos rumo aos mamilos. Quando chega nessa região alterna entre toques tão leves que chegam a fazer cócegas e tão apertados que chegam a doer. Decisivamente equilíbrio não é um ponto forte desse cara. Ainda consigo rir com esse pensamento, apesar do tesão que está cada vez mais forte. Tão forte que meus músculos já começam a se contrair daquela forma involuntária e imprevisível, embora bem conhecida. Então, ele para.

Calmamente, como se me esperasse esfriar, caminha em volta da cama lambuzando as mãos com mais óleo. Até parece que ele está tentando me torturar com essa pausa. Talvez se vingando pelo cinto de castidade, me negando também o novo orgasmo quando meu corpo todo ansiava por isso, da mesma forma que eu lhe neguei um. Pensando bem foram só alguns segundos de pausa, embora parecessem horas, e ele volta a massagear a região do meu ventre. Isso, agora vamos chegar lá! Suas mãos determinam uma região que passa pela parte de baixo da minha barriga e pelas virilhas. Começa em volta dessa região e vai fechando o circulo cada vez mais, me deixando mais uma vez ansiosa para que ele chegue no centro. À medida que chega mais perto o tesão fica cada vez mais intenso. Os leves toques dos seus polegares no meu clitóris me levam perto do clímax. Junto com esses toques ele me penetra acho que ora com o indicador, ora com o dedo médio. Ainda assim parece controlar a intensidade dos estímulos para que eu não goze enquanto ele não quiser. Droga, a dominadora aqui sou eu, ele não pode fazer isso! Ou será que pode?

Quando a excitação está tão grande que não seria mais possível interromper, ele atinge com dois dedos aquele famoso ponto de prazer dentro de mim, o ponto G, ao mesmo tempo que o polegar estimula o clitóris. Nesse momento não sei como descrever o que eu senti. Simplesmente nunca tinha tido um orgasmo assim antes! Molhei o colchão, dei um pulo na cama me afastando da mão dele, meu corpo todo tremeu como se tivesse um ataque epiléptico. Simplesmente foi incrível. Simplesmente não tenho palavras para descrever.

Demoro alguns minutos para me recompor. Então percebo que ele está no chão ao lado da cama, de joelhos, sentado sobre os calcanhares, com as mãos no chão à frente dos joelhos e de cabeça baixa, como um cachorrinho, como o meu cachorrinho. Me levanto e me visto. Ele permanece imóvel, nem vira a cabeça para me assistir vestindo minhas roupas. Entendo que ele está esperando minhas ordens, mas não tenho coragem de falar como uma rainha má depois do presente que ele acaba de me dar. Faço um cafuné na cabeça dele como se fosse mesmo um cachorrinho.

— Bom menino! — É o mais próximo do personagem que consigo dizer.

— Obrigado minha Rainha. — Ele diz, parecendo realmente muito agradecido. Como pode estar agradecido por eu lhe colocar um cinto castidade enquanto ele me dá dois orgasmos, sendo um deles o melhor da minha vida? — Posso fazer mais alguma coisa para satisfaze-la ou a senhora gostaria que eu fosse embora agora?

— Vá pra casa, agora preciso ficar sozinha. Depois conversaremos. Mas lembre-se: eu te procuro, você só responde quando for chamado. Se você tentar falar comigo será ignorado. — Me sinto mal por dizer isso depois do que acaba de acontecer, de tudo que ele fez por mim hoje. Mas é assim que será, não quero ninguém grudado no meu pé, gosto muito da minha liberdade.

CONTINUA…

Anúncios

Sobre birutaibm

Estudo ocultismo desde os 14 anos de idade, fui iniciado DeMolay aos 17, estou me preparando para entrar para FRA (uma fraternidade rosacruz). Sou graduado em Informática Biomédica, mestre em Física Aplicada a Medicina e Biologia (mais computação que física mesmo), doutorando na mesma área. Meu perfil no Modelo de Myers-Briggs é INTJ (fiz dois testes diferentes e o resultado foi esse em ambos). Enfim ainda não sei muito sobre mim.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Love’s Power 2.7

  1. Pingback: Love’s Power 2.6 | Idéia Biruta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s