As 3 Forças

Faz tempo que não escrevo né pessoal? Tento manter uma rotina, mas sempre acabo quebrando ela em algum momento. Espero que me entendam, afinal já falei que a única coisa constante no nosso universo é a mudança. Nada melhor para retomar os textos do que quebrar essa ideia de mudanças em suas três fases. Claro que aqui cabe a ressalva de que qualquer divisão é só uma forma de tornar a coisa mais didática, no fundo não existe o fim de uma fase e inicio de outra, a natureza é continua. Bem, as três fases às quais me refiro são: criação, manutenção e destruição.

A fase de criação é sempre impulsiva, explosiva, crescente, enérgica. Nesse estágio o importante não é a qualidade e sim a quantidade. É importante iniciar. É importante fazer. É importante criar. Em processos produtivos que exigem criatividade, essa é a fase em que todas as idéias devem ser expressas, anotadas e guardadas, não importa o quanto absurdas pareçam nesse primeiro momento. No surgimento da vida, provavelmente esteja presente no inicio com os primeiros primeiros seres sofrendo diversas mutações devido às condições do planeta naquela época, o que me parece a explicação mais razoável para a grande diversidade inicial exigida pela teoria da evolução das espécies.

A fase seguinte, manutenção, pode-se pensar que está isenta de mudanças, mas na verdade essa é a fase em que as mudanças estão ocultas. É uma fase de fortalecimento interno, lento mas constante. Uma fase de amadurecimento, crescimento e acumulação. A fase do casulo que parece estático, mas na verdade está transformando a lagarta em borboleta. A fase em que as espécies cruzam normalmente, sem nada demais, mas que o olhar atento percebe as melhores características sendo selecionadas. A fase em que as ideias iniciais são trabalhadas, combinadas, aperfeiçoadas para chegar a solução desejada.

A última fase, destruição, normalmente é mal vista em nossa sociedade. Se relaciona com a morte, a diminuição, a eliminação. Mas devemos lembrar que nada se cria e nada se perde, portanto, se existe uma fase em que surge algo novo se torna necessária uma em que se destrua o velho e imperfeito, gerando espaço/combustível para o novo. Aqui são eliminadas as ideias que realmente não faziam nenhum sentido. São eliminadas as espécies que não puderam se adaptar ao ambiente. São apresentas forças devastadoras como erupções vulcânicas, terremotos, maremotos e guerras que limpam uma região de tudo que é velho deixando espaço para o novo surgir. Essa fase, assim como as outras, não é boa nem má, ela é só o que ela é, uma fase.

Anúncios

Sobre birutaibm

Estudo ocultismo desde os 14 anos de idade, fui iniciado DeMolay aos 17, estou me preparando para entrar para FRA (uma fraternidade rosacruz). Sou graduado em Informática Biomédica, mestre em Física Aplicada a Medicina e Biologia (mais computação que física mesmo), doutorando na mesma área. Meu perfil no Modelo de Myers-Briggs é INTJ (fiz dois testes diferentes e o resultado foi esse em ambos). Enfim ainda não sei muito sobre mim.
Esse post foi publicado em ocultismo. Bookmark o link permanente.

3 respostas para As 3 Forças

  1. Muito bom o seu blog, acompanho já há algum tempo por um leitor de feeds, e fiquei feliz com o seu retorno. Quanto ao texto, gostei da ideia de não podermos olhar as fases como sendo positivas ou negativas, e sim como simples fases. Não podemos colocar juízos de valor humanos em fatos.

    É ainda possível fazer uma analogia dessas fases que voce abordou com alguns teóricos que olham a mudança em um contexto administrativo, contendo fases de Descongelamento, Mudança em Si e Recongelamento. Na primeira fase, o ímpeto da vontade de mudar desfaz os padrões estabelecidos e mostra a necessidade de mudança. Na segunda fase, as mudanças são apresentadas de fato, com aplicação dos novos padrões. Na terceira fase, ocorre a concretização da mudança e tudo que era antigo já não é mais utilizado.

    • birutaibm disse:

      Obrigado pela visita e pela contribuição Hugo! Essa é a ideia mesmo, em tudo que olharmos ao longo do tempo veremos as mudanças ocorrendo nessas 3 fases, e depois da terceira, em algum momento aparece a primeira de novo em um ciclo que nunca termina. É natural gostarmos mais de uma ou outra fase, mas acho importante entendermos que todas são igualmente necessárias, se tirarmos uma desequilibramos o sistema, quebramos o ciclo e acabamos destruindo todas.

  2. Pingback: Entendendo os Signos do Zodíaco | Idéia Biruta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s