Onde Eles Estão?

Deuses, demônios, anjos, elementais, espíritos, eles existem e se algum dia não existiam nós os criamos, mas onde eles estão? A primeira divisão de opiniões ocorre entre os que digam que estão dentro de cada um e os que digam que estão fora. Acredito que ambos estão certos.

Em uma abordagem mais psicológica (estão dentro), todos esses seres representam elementos que podem ser encontrados dentro de nós mesmos: medo, ódio, amor, desejo, compaixão, ternura, etc. Por isso eles existem dentro de cada um. Porém, nenhum desses é propriedade exclusiva de qualquer um de nós, essas características transcendem cada ser humano e mesmo a humanidade como um todo. Seu lugar original escapa de nosso espaço e nosso tempo. Estando dessa forma fora tanto como estão dentro.

Já na abordagem espiritualista (estão fora), todos esses seres estão no espaço a nossa volta e podem se comunicar por meio de médiuns, nos inspirar ideias, e mesmo nos influenciar a fazer ou não algumas coisas. Parece uma abordagem totalmente contraria a anterior, certo? Porém ao estudar melhor textos clássicos dessa linha (como o “Livro dos Médiuns”) encontramos em várias partes a ideia de que espíritos semelhantes se atraem e diferentes se repelem, sendo então necessário que o médium e seus auxiliares cultivem certas características em comum com o espirito que desejam se comunicar. Essa semente interna que atrai algo maior externo é muito parecida com a ideia psicológica de características internas mas cuja origem é externa.

Tudo que é matéria está em algum lugar. Precisávamos colocar nossos deuses em algum lugar para poder imaginá-los melhor. Escolhemos lugares simbólicos como alto de montanhas ou de nuvens (acima da humanidade), o sol (a fonte de energia da humanidade), a lua ou o fundo do mar (representando a noite, a escuridão, o desconhecido, o inconsciente), o coração do homem (dentro de cada um), etc. Todos eles são bons lugares, todos parecem estar certos por mais contraditório que isso pareça em um primeiro momento, basta entrar mais fundo, transcender as palavras e entender aquilo que nossa linguagem não pode dizer.

Anúncios

Sobre birutaibm

Estudo ocultismo desde os 14 anos de idade, fui iniciado DeMolay aos 17, estou me preparando para entrar para FRA (uma fraternidade rosacruz). Sou graduado em Informática Biomédica, mestre em Física Aplicada a Medicina e Biologia (mais computação que física mesmo), doutorando na mesma área. Meu perfil no Modelo de Myers-Briggs é INTJ (fiz dois testes diferentes e o resultado foi esse em ambos). Enfim ainda não sei muito sobre mim.
Esse post foi publicado em ocultismo. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Onde Eles Estão?

  1. Livio Nakano disse:

    Uma bela pergunta, que divido com você, após assistí-la cair em meu colo, é a seguinte:

    Até onde se estende meu “Eu”?
    Onde ele começa e onde ele acaba ?
    Há fronteiras bem definidas, ou há um espaço, uma zona de transição (uma “Twilight zone”) onde isto se torna fluido, com intersecções e tons de cinza entre o “Eu” e o “Não-Eu” ?

  2. birutaibm disse:

    Oi Livio, obrigado pela visita e pela boa pergunta.
    Alguns modelos de 7 corpos costumam apresentar medidas, você já teve ter visto isso por aí. Quem alega enxergar a aura das pessoas, também vê algo delimitado no espaço e não se estendendo para o infinito. Porém eu entendo o “Eu” essência como uma forma de energia (energia física mesmo, como o calor ou a luz) que se irradia pelo espaço, não tendo um limite claro, embora dizer infinito seja um pouco demais. Devolvo a pergunta falando em termos mais materiais: Qual o limite de um fogo qualquer (de uma vela por exemplo)? Enxergamos um lugar onde ele é mais intenso e queima, mas será que podemos dizer que ele acaba ali. O calor se propaga para todos os lados sem limite teórico de alcance, a luz faz o mesmo. Então o fogo não estaria na verdade tomando todo aquele espaço indefinido, mesmo perdendo a sua força a medida que se afasta da fonte e interage com outras coisas?Acredito que sim e que o mesmo ocorre com o “Eu”. Quanto às medidas, como coloquei no post, temos uma maneira de pensar bem ligada à coisas materiais (com forma, posição, tamanho, etc), precisamos desses parâmetros para conseguir imaginar melhor as coisas que não podemos ver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s